VÍDEO: vilhenense de 20 anos que perdeu olho após sofrer descarga elétrica é transferido de avião para Goiânia e precisa de ajuda - VILHENA ONLINE - NOTÍCIAS DE VILHENA E RONDÔNIA

VÍDEO: vilhenense de 20 anos que perdeu olho após sofrer descarga elétrica é transferido de avião para Goiânia e precisa de ajuda

Share:
Qualquer valor doado por pix ajudará a custear despesas

Vilhena, RO - Em vídeo publicado nas redes sociais, a autônoma Claudiani Sousa Batista, 43, atualizou a situação do jovem Kauan Júnior de Sá Batista, de 20 anos, que foi transferido de Vilhena para Cacoal após sofrer uma violenta descarga elétrica que o fez perder o olho direito.

Kauan, que mora na zona rural de Vilhena, estava fincando postes para a passagem de uma rede de fibra ótica às margens da rodovia estadual que liga a BR 364 a Chupinguaia, quando um dos artefatos de concreto tocou na fiação elétrica de alta tensão.

Em conversa com a reportagem na manhã desta segunda-feira, 12, Cláudia, que é tia de Kauan, elogiou o trabalho da equipe médica que atuou na transferência do vilhenense para o Hospital de Urgências de Goiânia. O transporte aéreo do acidentado até a capital goiana foi feito em um avião do Corpo de Bombeiros de Rondônia.

Como precisará ficar em Goiás pelos próximos meses, acompanhando a recuperação do sobrinho, a autônoma deixará a própria casa em Vilhena, para não ter que pagar aluguel. Seus pertences serão levados para a casa dos pais.

Para cobrir as despesas em Goiânia, Cláudia está pedindo ajuda, e quem tiver condições de colaborar pode fazer depósitos de qualquer valor através do pix criado para receber doações (VEJA A IMAGEM SECUNDÁRIA ABAIXO e saiba como colaborar), ou ACESSE AQUI a Vakinha

VIDA SOFRIDA
Abandonado pela mãe ainda criança, Kauan foi criado pelo pai e tem uma irmãzinha especial. Casado, sustentava a casa com o penoso trabalho braçal de perfuração de poços. Até o momento, não recebeu ajuda financeira da empresa para a qual estava prestando serviço quando se acidentou.

CLIQUE ABAIXO e assista o vídeo.





Fonte: Folha do Sul

Nenhum comentário