Número de passageiros no aeroporto de Vilhena caiu quase 30% em 2023; redução também foi observada nos demais aeroportos do Estado - VILHENA ONLINE - NOTÍCIAS DE VILHENA E RONDÔNIA

Número de passageiros no aeroporto de Vilhena caiu quase 30% em 2023; redução também foi observada nos demais aeroportos do Estado

Share:
Dados da Anac levantados por página especializada em aviação local mostram efeitos da diminuição de voos

Vilhena, RO - Com a crise na oferta de voos no Estado, o número de passageiros que embarcaram e desembarcaram em aviões no ano de 2023 caiu de maneira significativa em Rondônia. Vilhena amargou uma redução de quase 30%, enquanto Ji-Paraná teve queda de 35% e Cacoal cerca de 10%. O levantamento feito pela página local especializada em aviação “BVH Notícias” mostra os números dessa movimentação, comparando com os dados de 2022.

Em Vilhena foram 55,2 mil embarques e desembarques em 2022, contra 36,9 mil em 2023, redução de 28,9%. Aqui a quantidade de voos realizados também foi bem menor no período: de 601, o total de pousos e decolagens foi para 367, uma queda de 39%. Como consequência direta, a lotação dos voos aumentou, pulando de 78% para 86,5%. Se em 2022 havia 91 passageiros por voo em Vilhena, em média, em 2023 esse número foi para 100 pessoas.

Ji-Paraná teve redução ainda maior no número de passageiros, embora a queda na quantidade de voos tenha sido menor. Cacoal, por sua vez, sofreu menos, tendo pequena variação para baixo, tanto no número de pousos e decolagens como na quantidade de pessoas embarcadas. (Veja os dados completos nos gráficos abaixo).

A situação acontece durante período de redução nas ofertas de voos pela Azul em todo o Estado, além de dificuldades nas soluções para pousos e decolagens em aeroportos que têm pouca estrutura, como os de Vilhena. O interior de Rondônia conta apenas com essa companhia aérea, operando atualmente com aeronaves de até 118 passageiros.

Diversas instituições, associações e parlamentares solicitam melhorias nos serviços, enquanto a grande quantidade de ações judiciais contra atrasos e cancelamentos foi apontada pela empresa como motivo para corte no número de voos no Estado.





Fonte: Folha do Sul

Nenhum comentário