Após quase perder neta de 04 anos, jornalista vilhenense alerta sobre Crupe, doença que pode matar se não for tratada a tempo - VILHENA ONLINE - NOTÍCIAS DE VILHENA E RONDÔNIA

Após quase perder neta de 04 anos, jornalista vilhenense alerta sobre Crupe, doença que pode matar se não for tratada a tempo

Share:
A advertência veio após o episódio assustador vivido pela família do próprio comunicador

Vilhena, RO - O jornalista Paulo Mendes fez uma publicação nas redes sociais alertando a população de Vilhena sobre uma doença pouco conhecida nos dias de hoje, a “Crupe”, antiga difteria, doença que matou muitas crianças no século passado.

A advertência veio após um episódio assustador vivido pela família do próprio comunicador, em que sua neta de 04 anos esteve à beira da tragédia devido a essa enfermidade.

A crupe, conhecida anteriormente como difteria, é uma doença infecciosa causada pela bactéria Corynebacterium diphtheriae. Ela afeta principalmente as vias respiratórias, causando dificuldade de respiração, tosse intensa e, em casos mais graves, pode levar à insuficiência cardíaca e à morte.

O jornalista relatou o episódio alarmante que sua família enfrentou recentemente: "Eu descobri essa semana da pior maneira. Quase perdemos minha neta de 04 anos por causa desta doença. Era meia noite, de repente, do nada, ela começou a ter uma falta de ar intensa, com uma rouquidão de 'cachorro louco', como se diz no popular. Foi uma correria. Corremos para a UPA e, graças a Deus, tinha uma médica que no mesmo dia estava comentando sobre a Crupe com outros colegas, portanto, era conhecedora do problema."

A neta de Paulo Mendes chegou à Unidade de Pronto Atendimento (UPA) com 180 batimentos cardíacos e 80 de oxigenação, um quadro extremamente preocupante. A criança precisou receber quatro sessões de adrenalina para controlar a crise.

Paulo Mendes lembra que os casos não são mais comuns, mesmo assim aproveitou o drama vivido pela família para alertar os pais da região: "Pais, fiquem alertas quando a essa doença, pois mesmo com tratamento, cerca de 1 em cada 10 pacientes ainda morre. Sem tratamento, até metade dos pacientes podem morrer da doença. Então, ao menor sinal, busquem ajuda rapidamente, porque pode não dar tempo."

O jornalista expressou sua gratidão aos profissionais da UPA que agiram com rapidez e adotaram a conduta correta para salvar sua neta. O episódio serve como um alerta para a comunidade de Vilhena sobre a importância da prevenção e tratamento imediato diante de sintomas suspeitos dessa doença pouco conhecida nos dias atuais.





Fonte: Folha do Sul

Nenhum comentário