Pioneiro na criação de avestruzes em Colorado do Oeste é encontrado morto aos 48 anos em sítio; corpo tinha marcas de munição explosiva - VILHENA ONLINE - NOTÍCIAS DE VILHENA E RONDÔNIA

Pioneiro na criação de avestruzes em Colorado do Oeste é encontrado morto aos 48 anos em sítio; corpo tinha marcas de munição explosiva

Share:
Amigo escreveu resumo da vida de Paulinho para a reportagem

Vilhena, RO - Continua envolta em mistério a morte do produtor rural Paulo Júnior de Paula. Ele tinha 48 anos e seu corpo foi encontrado na tarde de sábado, 27, no sítio em que morava na Linha 02, em Colorado do Oeste. O sepultamento aconteceu ontem.

O óbito de “Paulinho” teria acontecido três dias antes, hipótese levantada em virtude do estado em que foi encontrado o cadáver. Um amigo dele, ouvido por este site, revelou que o sitiante foi assassinado e deu alguns detalhes.

Segundo esse amigo, a vítima foi encontrada caída na cozinha. Paulo levou dois tiros na face e um no maxilar, disparados a curta distância e com balas explosivas. Essa circunstância e o fato de ele estar de cueca, aparentemente se preparando para fazer o café da manhã, indicam que o crime pode ter sido cometido por uma pessoa próxima

A reportagem apurou que nada foi levado da propriedade do pioneiro, o que que confirma que foi um assassinato cometido com disparos a curta distância, e não latrocínio (roubo seguido de morte). A polícia vai investigar, mas ainda não há pistas sobre a motivação ou suspeitos.

Um amigo de adolescência de Paulinho escreveu e enviou para a reportagem um breve resumo da vida do criador de avestruzes, dando maiores detalhes sobre o caso, que comoveu a população coloradense, que tinha grande simpatia por ele (LEIA ABAIXO).

COLORADO PERDE UM PIONEIRO

O jovem Paulo Junior de Paula, popularmente conhecido por “Paulinho Cabeça Branca”, nascido em 19 de abril de 1975, filho do popular Paulino Cabeça Branca e de Francisca, servidora do supletivo e pioneiros em Colorado foi encontrado sem vida em sua casa no sítio na Linha 02.

Paulinho era acostumado a visitar a casa de sua companheira (Nil) que no momento não estava morando no sítio, mas que diariamente ele visitava na casa de seus país.


Com a falta de visitas desde a última terça, 23, sua companheira entrou em contato com a irmã, que no mesmo instante se deslocou até o sítio e encontrou o corpo do irmão em estado avançado de decomposição, não ficando claro o dia e hora do óbito, assim como no aguardo da perícia para saber a causa mortis.

De imediato a Polícia Cientifica se deslocou e levou o corpo para o IML, sendo liberado na tarde deste domingo as 13h em caixão lacrado e o sepultamento aconteceu às 17h no cemitério da cidade. O velório foi na Capela Mortuária de Colorado do Oeste.

Paulinho deixa duas irmãs, Michele e Graziele, além de sua companheira. Paulinho, muito conhecido e querido pelos seus amigos, tentou empreender no início dos anos 2000 na criação de avestruzes, quando com muito sacrifício se deslocou ao Mato Grosso do Sul em uma aventura que só os corajosos e sonhadores tem coragem de enfrentar, trazendo para Colorado 12 casais de das aves ainda filhotes, em uma Kombi; para tal feito, ele improvisou um aquecedor a gás, devido a fragilidade dos animais.

Paulinho conseguiu que as aves ficassem adultas e produzissem ovos. Na época, o avestruz era uma promessa, devido a sua carne saudável. Não teve êxito e vinha tendo uma vida humilde e de trabalho, um sonhador que pensava alto; engenhoso, criou sua própria estufa par chocar ovos de Avestruz e tinha planos de construir motores e bombas ecológicas e de baixo custo, visando proporcionar a baixo custo tecnologias que hoje são muito caras. Paulinho, vá na paz, seus amigos e familiares testemunharam o seu grande coração.





Fonte: Folha do Sul

Nenhum comentário