O Auto da Compadecida 2 ganha data de estreia - VILHENA ONLINE - NOTÍCIAS DE VILHENA E RONDÔNIA

O Auto da Compadecida 2 ganha data de estreia

Share:
O Auto da Compadecida 2 irá chegar aos cinemas no dia 25 de dezembro desse ano

Vilhena, RO - O cinema brasileiro existe desde julho de 1896, e nesses mais de 120 anos de história, ele teve momentos de grande repercussão internacional. Além disso, não é de hoje que o Brasil faz verdadeiras obras de arte, como por exemplo, o icônico “O Auto da Compadecida”.

“O Auto da Compadecida” é uma peça teatral escrita por Ariano Suassuna. Por tratar de temas tão importantes de uma maneira leve e bem humorada, logo o texto da peça foi adaptado para se tornar um filme. O longa foi dirigido por Guel Arraes. Ele levou o texto do papel para as telonas, além de ter traduzido, de forma fiel, a imagem da história.

Não foi surpresa para ninguém que o filme foi um grande sucesso e está na lista da Abraccine (Associação Brasileira de Críticos de Cinema) como um dos melhores filmes brasileiros.

Data

E depois de 25 anos foi anunciada a continuação do longa, em março do ano passado. Agora, “O Auto da Compadecida 2” finalmente ganhou sua data de estreia. O esperado longa chegará aos cinemas no dia 25 de dezembro desse ano.

O anúncio da data de estreia do filme foi feito na quinta-feira dessa semana nas redes sociais através de um post em conjunto do ator Selton Mello e da produtora Conspiração Filmes.

Como o próprio post diz, “O Auto da Compadecida 2” será um presente de natal para todos. Mas claro que muitas pessoas ficaram confusas com a data escolhida. A explicação é por conta do lado financeiro. Isso porque vários filmes que foram lançados no fim de dezembro tiveram desempenho bom nas bilheterias.

Independente da data de estreia, o fato é que tem muita gente esperando essa sequência. A expectativa está gigante, e não é para menos, visto que o original do ano 2000 foi o filme mais assistido da época. “O Auto da Compadecida 2” irá mostrar como o tempo mudou a pequena cidade de Taperoá.

O Auto da Compadecida 2


O anúncio do filme foi dado em março do ano passado pelos atores Selton Mello e Matheus Nachtergaele, os icônicos Chicó e João Grilo.

Além dos dois conhecidos atores, outros nomes do elenco foram revelados. Foram eles: Taís Araújo como a Nossa Senhora; a volta de Virginia Cavendish e Enrique Diaz como Rosinha e Joaquin Brejeito, respectivamente; Eduardo Sterblitch, Humberto Martins, Fabiula Nascimento, Luis Miranda e Juliano Cazarré.

E no dia 18 de agosto foi publicado um vídeo onde Flávia Lacerda e Guel Arraes, os diretores do filme, contam como está sendo a criação de “O Auto da Compadecida 2” já que é uma produção que traz de volta uma história bem querida pelos brasileiros.

“É um desafio de ter uma história sem Ariano [Suassuna, autor de O Auto da Compadecida] e dar continuidade com a história original, uma história clássica”, contou Arraes.

Mesmo assim, ele pontuou que como a tecnologia evoluiu bastante desde a época em que o primeiro filme foi feito, agora é possível que eles consigam representar um “nordeste mais mágico”.

“O filme tem muito mais camadas. Tem um leque muito grande de possibilidades e novas propostas para todo mundo”, disse Flávia.

Clássico


Mesmo sendo um clássico do cinema nacional e amado por praticamente todo mundo, existem algumas curiosidades que nem todos sabem sobre ele. Por exemplo, em 1999 “O Auto da Compadecida” foi uma minissérie que teve quatro capítulos. E o filme foi uma adaptação dessa série.

Por mais que fosse uma minissérie, isso não quer dizer que o tempo de produção foi curto. Cada um dos episódios levava cerca de nove dias para ser gravado. Ao todo, foram 37 dias de gravação, tanto no Rio de Janeiro como na Paraíba.

Além disso, para o cenário do longa, a equipe de filmagem foi para a cidade de Cabeceiras, no sertão da Paraíba, e adaptaram as fachadas das casas, disfarçaram os cabos telefônicos, pintaram a igreja e até trocaram postes.

Com relação à acomodação, também foi preciso toda uma logística. Até porque, para fazer um filme como esse é preciso muita gente, e gravando no sertão, normalmente lugares para acomodações costumam ser um problema. Por isso que um esquema enorme foi montado para que todas as 65 pessoas da equipe pudessem se acomodar.

Para resolver o problema a produção alugou duas fazendas e todos os quartos de um hotel a 20 quilômetros do set de filmagem e 12 casas.

Outra curiosidade sobre o “O Auto da Compadecida” é com relação aos figurinos, que por si só já chamam a atenção dos espectadores. O que muita gente pode não saber é que toda a indumentária de cangaceiro vestida por Severino, personagem de Marco Nanini, pesava oito quilos. E além do figurino, o ator ainda usava látex no rosto, peruca e olho de vidro.

Um longa não é nada sem uma trilha sonora boa. No caso de “O Auto da Compadecida”, João Falcão, que divide o roteiro com Guel Arraes e Adriana Falcão, ficou quatro dias em Recife para compor a trilha sonora original da minissérie.

Ele a compôs junto com músicos pernambucanos. As músicas foram gravadas levando em consideração as características de cada um dos personagens e as cenas em que estavam.

Fonte: Fatos Desconhecidos

Nenhum comentário