VÍDEO: Pesquisadores encontram navio naufragado há 1200 anos - VILHENA ONLINE - NOTÍCIAS DE VILHENA E RONDÔNIA

VÍDEO: Pesquisadores encontram navio naufragado há 1200 anos

Share:
Destroços do navio foram encontrados por dois mergulhadores (Reprodução / Vídeo / @eldiario)

Vilhena, RO - Destroços de um navio de cerca de 20 metros de comprimento e 5 metros de altura, que naufragou há 1.200 anos na costa da comunidade Maagan Michael, em Israel, foi descoberto por dois mergulhadores amadores. Arqueóloga náutica da Universidade de Haifa e diretora da escavação, Deborah Cvikel classificou a descoberta como “única”, tanto pelo tamanho da embarcação como por sua datação. “[O navio] é datado entre os séculos VII e VIII d.C., que é quando houve a mudança entre o domínio bizantino e islâmico na área”, afirmou. As informações são do G1 Mundo.

Segundo os pesquisadores da Universidade de Haifa que estão estudando o sítio arqueológico, trata-se de um navio mercante feito de abetos e nogueiras. Não se sabe o que causou o naufrágio, ocorrido quando o Império Bizantino, em grande parte cristão, estava perdendo o controle da porção leste para o domínio árabe e islâmico.

ASSISTA:

Para os estudiosos, a descoberta do navio mostra que, mesmo após a área ser conquistada pelos forasteiros, o Ocidente continuou fazendo negócios por ali.

“Se olharmos para os livros de história, eles geralmente nos dizem que nesta mudança, após o declínio do domínio bizantino nesta área e a ascensão do domínio islâmico, o comércio quase parou, não havia comércio internacional no Mediterrâneo, tínhamos principalmente navios menores navegando ao longo da costa fazendo cabotagem”, afirmou Cvikel. “Aqui temos um grande navio naufragado carregado […] com cargas de todo o Mediterrâneo”, completou.

Além dos destroços da embarcação, foram encontradas 200 ânforas com diversos ingredientes da dieta mediterrânea, como molho de peixe, azeitonas, tâmaras e figos, e artefatos no convés que mostram que o navio atracou no Chipre, no Egito, na Turquia e talvez até na costa norte da África.

Ferramentas de navegação, como cordas, e itens pessoais, como pentes de madeira, além de animais, incluindo restos de besouros e seis ratos, também foram encontrados. Algumas das cargas traziam símbolos da igreja cristã bizantina e outras tinham escrita em árabe.


Fonte: O Liberal

Nenhum comentário